Share this

segunda-feira, maio 21, 2007



Um Capitão sem medo, quiçá sem medo das pragas de Alvor que tenho ameaçado lançar, presenteou-me com mais um desafio.


Se eu fosse... ------------------------------------------Seria...




Se eu fosse uma hora do dia, --------------------------21ª hora – Quando já estou jantada, cozinha arrumada e pronta para o que der e vier.
Se eu fosse um astro, ---------------------------------Saturno – com muitos anéis porque eu sou vaidosa.

Se eu fosse uma direcção, -----------------------------Geral de Viação – para andar na auto- estrada a mais do que 120.
Se eu fosse um móvel, --------------------------------Chaise Longue – relaxar, relaxar…
Se eu fosse um líquido, -------------------------------Água do mar da minha Meia Praia.
Se eu fosse um pecado, -------------------------------daqueles pequeninos, que não fazem mal a ninguém.

Se eu fosse uma pedra, -------------------------------Vulcânica
Se eu fosse uma árvore, ------------------------------Árvore do Maracujá

Se eu fosse uma fruta, --------------------------------Maracujá
Se eu fosse uma flor, ----------------------------------Flor do Maracujá

Se eu fosse um clima,---------------------------------do meu Algarve
Se eu fosse um instrumento musical, --------------Harpa
Se eu fosse um elemento, ----------------------------Ar (muito puro)
Se eu fosse uma cor, ---------------------------------Branca
Se eu fosse um animal, ------------------------------Golfinho

Se eu fosse um som, ---------------------------------Das ondas do mar da minha Meia Praia.
Se eu fosse um estilo musical, ----------------------Jazz
Se eu fosse uma música, -----------------------------Bolero de Ravel
Se eu fosse um sentimento, --------------------------de culpa

Se eu fosse um livro, ---------------------------------100 anos de solidão
Se eu fosse uma comida, -----------------------------Queijo de cabra grelhado, pimentos vermelhos assados, um fio de azeite e vinagre balsâmico, sobre uma salada de rúcola fresca.
Se eu fosse um lugar, --------------------------------a minha Meia Praia
Se eu fosse um gosto, --------------------------------agridoce
Se eu fosse um cheiro, -------------------------------a terra molhada qundo chove no Verão.
Se eu fosse uma palavra, ----------------------------lealdade
Se eu fosse um verbo, -------------------------------compartilhar
Se eu fosse uma peça de roupa, ----------------------lenço de pescoço
Se eu fosse uma parte do corpo,----------------------olhos
Se eu fosse um objecto, ------------------------------caixa de música
Se eu fosse uma expressão facial, --------------------êxtase
Se eu fosse uma personagem de desenho animado, --Mafalda
Se eu fosse um filme, -------------------------------Toute une vie

Se eu fosse uma forma, -----------------------------Pirâmide
Se eu fosse um número, ----------------------------23
Se eu fosse uma estação, ---------------------------Verão, claro.
Se eu fosse uma frase, ----------------------------- Il y auras toujours un trou dans la muraille de l’Hiver pour revoir le plus bel Été.

Passo a propôr o desafio a 3, perdão, 4 moças (des)conhecidas:

O sentido das coisas
100 nada
Outras Mulheres

39mais1

7 comentários:

Lugares comuns disse...

Curiosa descrição e muito consistente! Gostei

Capitão Rebordelo disse...

Essa maldição do Alvor em que consiste? Cá em cima, os mestres da ronha estão em Vilar de Perdizes. Alvor tem de crescer e depois pode aparecer ou como moina ou como maçarico.
Todos os anos passo uns dias miseráveis no Garbe, mas longe, muito longe dessas bandas e para mais agora...
Ainda estou para perceber porque é os dois manos vivem aí, um no Sota e outro no Barla
Os Filhos da Meia Praia inaram-se com o Zeca
O meu aplauso pelo Bolero que parece ser a melodia mais nhurra é no entanto um encanto da natureza...

June disse...

Ora bem Sr. Capitão,

Alvor era uma aldeia piscatória em que, quando alguém se travava de razões com o vizinho, rogava-lhe pragas em vez de lhe ir às fuças. Só que essas pragas tinham tanto de original como de cómico. Um dia publico algumas.

No que diz respeito ao Garbe, todas as férias são miseráveis se não forem passadas em Lagos, que só tem um "senão": por vezes é muito ventoso. Cá está! Barlavento (para onde sopra o vento), Sotavento (de onde sopra o vento)é lá para o outro lado e sopram-no para cima de nós. Não se pode ter tudo.

Mas temos a nossa Meia Praia que, con índios e tudo, não há igual. E depois as praias rochosas que também são um encanto e um colírio para a vista.

Que mais dizer?
Sim! Definitivamente o Bolero.

Um abraço

Capitão Rebordelo disse...

O Capitão, o original, viveu por volta de 1820. Este é uma metáfora familiar.
Para mim, a praia da D'Ana é a melhor..., já a conheço desde os 3/4 anos de idade.

June disse...

Engraçado Sr. Capitão,

Eu vivo na Praia D. Ana, junto à falésia.

Maria Vinagre disse...

Eu devo ser das poucas pessoas que gostam destes testes, e a mim nunca me mandam...

Tá mal!

Maria Vinagre disse...

AI OBRIGADA QUERIDA JUNE... FUI SORTEADA!!!

És uma pessoa muito bonita, sabias?

Obrigada,
e um beijinho muito especial para ti linda-June!